terça-feira, 6 de maio de 2014

Largando os vícios, Parte I

Calma aê, esse post não é sobre dorgas nem nada do tipo! Sabe aquelas manias feias que geralmente temos em relação aos nossos cuidados pessoais, como dormir maquiada, roer as unhas, usar pinceis sujos, enfim... acho que todo mundo tem uma mania feia dessas e é sobre isso que eu quero falar!

Definitivamente, isso não é legal! O óleo corporal serve pra proteger a pele, ele forma uma espécie de capa que evita que a pele perca água (hidratação), e essa capa não só impede que a hidratação saia mas também impede que ela entre, por isso não adianta passar hidratante depois do óleo que a pele não vai absorvê-lo, ele vai ficar lá por cima e depois de um tempo vai evaporar.
Eu fiz isso por anos e parei há mais ou menos um mês atrás, a melhora que minha pele apresentou foi gritante. Eu tenho uma área super ressecada bem na frente da perna, provavelmente foi alguma pancada, arranhão, não sei, que a pele não se recuperou totalmente até hoje, ela era bem escura e descamava muito, mesmo depois de todo o ritual sabonete hidratante > óleo > hidratante, depois de uma horinha ela já estava descamando de novo.
Depois que eu resolvi mudar a ordem da minha rotina cosmética, a área ressecada em apenas dois dias parou de descamar e agora com um mês percebo que ela está bem mais clara que antes. Aí você pensa: "Mas eu amo óleo, ele dá uma sensação muito boa e acho que o hidratante espalha melhor com ele, o que eu faço?" Atualmente eu uso o óleo no banho da manhã e o hidratante no banho da noite, não precisa abandonar o óleo! E o hidratante é bem simples, é só espalhar com a pele úmida, deslisa que é uma beleza e em 5 minutinhos já tá absorvido, mas é importante que você use a mesma quantidade de hidratante que costuma usar sempre porque o produto vai diluir um pouco na água que está em seu corpo e você vai terminar passando menos do que precisa, ok?! Agora eu percebo quanto hidratante e tempo eu desperdicei!

Esse vício é típico de quem roía unhas ou pinta pra tentar parar de roer. Nossa, foi muito difícil pra mim parar com isso, e ainda hoje se eu me distraio muito com a mão perto da boca quando me dou conta já arranquei o esmalte de uma ou duas unhas! Acontece que isso faz muito mal pra saúde e beleza das unhas, quando você tira o esmalte dessa forma literalmente ele é arrancando e estando colado na unha, ele leva junto uma parte da camada superior dela. Lembra no colégio quando você colava um adesivo na folha de caderno e depois ao retirar saia aquela camadinha de papel grudada nas costas do adesivo? Agora lembra como ficava a folha de papel na área do adesivo bandido, bem fininha, transparente e fragilizada! É mais ou menos isso que acontece nas unhas.
Eu não sei se isso vai ser um bom truque para algumas pessoas, mas o que me ajudou muito foi a forma como eu utilizo o removedor de esmaltes, antes eu ficava esfregando o algodão embebido do produto até sair o esmalte, era chato, fazia muita sujeira nas cutículas e gastava muito algodão e removedor, de uns anos pra cá eu passei a embeber 10 bolinhas de algodão com removedor, envolver todas as unhas com elas, esperar uns dois minutinhos e retirar com movimentos firmes abrangendo só a área da unha, isso fez com que a tarefa de tirar esmalte ficasse bem menos chata, pra falar a verdade pra mim é até prazeroso eu sento pra ver desenho tv e faço tudo com calma, não faz sujeira, gasta menos produtos, é mais rápido e menos trabalhoso... Foi isso e apenas isso que me ajudou a parar, tornar prazeroso o processo com o removedor.

É isso, espero que esse post venha a ser útil! Ele ainda terá uma continuação, então quem quiser mais dicas é só ficar de olho no blog :) Um beijo!

0 comentários:

Postar um comentário